Outubro rosa: a informação pode salvar vidas

Hoje viemos falar de coragem, informação, apoio e empatia. Você sabia que 1 em cada 3 casos de câncer pode ser curado se for descoberto logo no início? E que a maioria das mulheres não recebe tratamento adequado em tempo hábil por falta de informação?

A verdade é que abordar esse tema quase nunca é fácil e geralmente é seguido de dor e medo, mas precisamos ser corajosos. Falar abertamente sobre o câncer de mama pode ajudar a esclarecer mitos e verdades e, com isso, aumentar o conhecimento e diminuir o temor associado à doença.

Suas mamas são únicas, assim como você. Conheça seu copo.

Quando a mulher conhece bem o seu corpo ela pode perceber mudanças que não são normais nas mamas e assim, ficar alerta a um sinal ou sintoma suspeito de câncer para então procurar ajudar.

Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama são descobertos pelas próprias mulheres através do autoexame.

Olhe, apalpe e sinta suas mamas no dia a dia para reconhecer suas variações naturais e identificar as alterações suspeitas. Ensinem suas filhas, netas, amigas e fiquem alerta aos principais sintomas diferentes:

  • Caroço (nódulo) endurecido, fixo e geralmente indolor. É a principal manifestação da doença, estando presente em mais de 90% dos casos. 
  • Alterações no bico do peito (mamilo). 
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço. 
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos. 
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja.

Se ao realizar o autoexame e um ou mais desses sintomas estiverem presentes, procure ajuda médica para um diagnóstico completo.

Não há uma causa única para o desenvolvimento da doença. Diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama e o risco de desenvolver a doença aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos, porém, lembre-se: há muitos casos em mulheres mais jovens também!

Mas, não desanime, nem toda alteração é um câncer e ainda é possível reduzir os riscos através de hábitos saudáveis. Manter o peso corporal adequado, praticar atividade física e evitar o consumo de bebidas alcoólicas e até mesmo a amamentação ajudam a reduzir o risco da doença. E manter os exames de rotinas (idas ao ginecologista e mamografia) e o autoexame em dia são os melhores aliados que você encontrará no combate ao câncer de mama.

Cuide-se. 

(Visited 18 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *