Meditação pode ajudar na recuperação de dor crônica


O crescimento da dor crônica entre os brasileiros levantou uma questão muito importante sobre tratamentos e recuperação alternativa. Hoje, entre dez brasileiros, ao menos dois sofrem com isso, e cada vez mais especialistas buscam alternativas para o problema.

Em entrevista ao programa Bem Estar, o neurologista Daniel Ciampi explicou que muitas vezes a dor aparece em áreas que já perderam a sensibilidade, e que tem um impacto muito grande na vida e na saúde das pessoas. Vale lembrar que para ser considerada uma dor crônica, ela deve durar por mais de três meses e tendem a se manifestar com frequência nas costas e na cabeça.

Como muitos dos sintomas possuem mais de uma causa, é difícil diagnosticar ou até mesmo combatê-los. Por isso, alguns tratamentos alternativos têm se mostrado eficientes nessa luta. O doutor defende, ainda, que a meditação é uma das opções para controlar a área do comportamento e do raciocínio da dor.

Ciampi explica que depois de muito tempo com uma dor, ela deixa de ser física e pode se tornar uma depressão, ansiedade e vários outros problemas de saúde. Assim sendo, a meditação cai como uma luva para esses tratamentos.

Em estudo recente, foi comprovado que em um programa de meditação de 10 semanas, 65% dos pacientes apresentaram redução em suas dores. Ou seja, por mais que não seja um tratamento considerado padrão, a meditação é comprovadamente uma prática que ajuda na redução das dores e no bem estar dos pacientes, já que ajuda a reduzir os impactos físicos e emocionais que a doença pode causar.

(Visited 111 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *